Uma bola de neve

  Uma bola de neve

 

Quando se fala em bola de neve nos vem imediatamente à mente os excessos.

Tudo que excede ao proposto pode ser prejudicial. Com exceção do amor sentido e exercitado.

O mundo está cheio de negatividades por conta do excessos desnecessários que o homem inadivertidamente  pratica.

Podemos nos observar melhor para não cometê-los e em seguida estes se tornarem uma bola de neve que cada vez mais aumenta chegando  ao ponto de não termos mais controle.

Quem fala demais pode construir uma bola de neve e ficar em apuros.

Quem ama demais enganado  e cheio de paixão fica em débito e tende a sofrer muito, pois o amor pode e deve ser compartilhado. Quando alguém se doa desmedidamente o resultado todos  conhecemos: É o sofrimento.

Então a expressão bola de neve é correta.

Podemos ser ponderados em qualquer setor ou dimensão da vida. Observância dos atos é o que mais deve ser ajuizado.

Não é à toa que vemos pessoas em sérias patologias devido a força dos seus excessos.

Não devemos confundir amor com  a dedicação ao que fazemos. A regra é fazermos o que for possível com primazia sem nos violentarmos para não chegarmos ao stress ou as doenças cerebrais. Ademais, quando exageramos sintonizamos com aqueles que foram exagerados enquanto na carne. Frequentemente acompanhamos casos e mais casos de obsessões de pessoas que se permitem coadunar com a energia desses nossos amigos que ainda não se desvincularam desses trágicos hábitos.

Busquemos o equilíbrio no falar, no alimentar-se, no vestir, no comprar, na afetividade, na religião, etc.

Com o equilíbrio vem o discernimento. Com o discernimento vem a ponderação que nos ajusta a qualquer situação.

Busquemos em nós a força positiva. Se quisermos podemos mudar toda nossa situação interna.

Há muitas possibilidades de treino a harmonia. A alma deve ser leve. E se ela é  leve o corpo e os gestos acompanham harmonicamente o seu conjunto.

A alma leve faz tudo com abnegação e moderação, por isso evita os apuros. Não podemos deixar de aqui citar a técnica natural do auto conhecimento. Se já me analiso sempre me olho como ser que deve acertar, excelente!

Porém  se o tempo passa e o comedimento não chega, sabemos que não houve o esforço necessário na ação para as mudanças.

Mas  vai depender de quem realmente compreende que muitas doenças de hoje vem dos excessos viciosos de ontem e de hoje.

Evite, evite, evite exceder-se. A bola de neve muitas vezes chama a criatura despreparada ao suicídio violento ou até mesmo o de origem lenta.

Não caia nas algemas das energias perigosas à sua evolução. Tenha em mente de que vives  em constante companhias de várias qualidades de pensamentos e ainda arraigadas aos vícios morais que tiveram na terra. Previna-se com  humildade, com a auto observação, com a meditação e a prece.

Todas as vezes em que fores pensar na bola de neve, utilize o seu freio particular e não entre por essa porta.

Tenho a certeza absoluta de que você vai aprender a moderar-se todos os dias.Se permita também ser observado por alguém que não quer te ver em enrascadas.

Estejam sempre atentos as investidas contrárias que possam surgir em suas vidas. Sois livres para errar, mas sois totalmente  livres para acertar.

Treine, exercite, observe-se, você não merece entrar nessa porta larga.

Pense no Cristo como fonte de referência.

Medite sobre si e peça ajuda ao seu Deus para livrar-se dessas influências perniciosas que em muitos casos acabam tornando-se moléstias de difícil solução.

Sintonize a natureza. Sintonize a luz divina para o seu ser. Queira o melhor para a sua existência, afinal há processos sérios que você precisa trabalhar. Se aguça indevidamente a outros, a recuperação fica mais difícil.

Portanto, fique de olho na bola de neve que acumula os excessos de todas as matizes, às vezes dentro de uma pequena nesga de tempo.

Acostume-se a ficar atento a si. Quando o sinal vermelho chegar é hora de usar racionalmente o freio da coerência para o seu bem estar.

Eu como espírito também estou focado na bola de neve.

Em carinho e respeito as suas possíveis manias ou ao tão atual TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) busque logo o médico da terra e o Grande médico dos céus para que os excessos não se tornem prejudiciais a tua vida terrena.

Em amor espero ter feito o alerta na hora certa.

Abraço você pela coragem de assumir   e de corrigir os seus excessos ou as suas possíveis compulsões.

                                                       Luiz Sérgio

  

              Canal: Francyska Almeida-010910-Fort-Ce-Brasil. 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!