MINHA VOLTA

 MINHA VOLTA

Aportei numa planície

Cujos montes eram altos

Dentro de mim guardava a certeza

De que alguma coisa rara me esperava

Sim, era algo novo e muito especial

Que eu desconhecia completamente

Era um tipo de beleza

Que transcende a tudo que se ver na terra

Vivi um ímpeto de aflição, mas aos poucos

Senti que a força de um grande ser

Fazia escancarar as portas do meu coração

E livre me fiz menino correndo

Atrás das bolas de gude perdidas

 

E através da surpresa da primeira paixão

Fiz-me adolescente buscando a menina amada

Fiz-me sonhador a contemplar o que via

Alargando os meus horizontes internos

E logo voltei a ser poeta

Eu era   uma nuvem vaporosa que se deslocava

Para todo e qualquer lugar

Vi-me como um ser grande,

Capaz de quebrar e romper toda e qualquer barreira

Entre o que chamamos de céu e terra

Fiz-me poeta e cantor novamente

E a minha filosofia interna se ampliou

Com esse sopro de luz se movendo

Em busca de mim sem exigir

O fel amargo da velha intransigência

 

Vejo-me poeta a admirar as flores

Rios, cascatas e tantas outras belezas

Que temos como acessar do outro lado da vida

Por isso faço-me agora de poeta, de escritor

Porque sou uma fagulha de luz

Por meio de um doce elo do divino criador

Hoje sou a essência pura do poeta cantador!

                              Gonzaguinha

Canal: Francyska Almeida- 031104-Fort-CE.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!