As grandes calamidades da terra

As grandes calamidades da terra


 

Os mundos, as cidades, os edifícios da vida passam por transformações.

Transformações estas necessárias, doloridas, intrigantes!

Mas a força na natureza divina sem nenhuma carta chega e devasta cidades, florestas, casas, pessoas!

Como compreender que as calamidades são necessárias?

Compreendendo que a terra tem o seu carma registrado.

Não somos nós que habitamos a sua superfície enchendo de detritos energéticos, avançando muitas vezes um espaço que a ela pertence?

Podem refletir sobre a vossa conduta diante da natureza em um momento como o que estão a presenciar?

Sofremos e nos perguntamos sobre a justiça divina, a fúria da natureza!

Quem somos nós pequeninos seres para desvendar os segredos íntimos dessa imensa natureza viva?

Tudo é previsto pelo Cosmo.

Só nos resta fazermos a nossa parte de auxílio a quem fica e a quem parte.

Mas é pouco diante de tão demasiada dor!

Que questionemos os destinos do planeta terra.

Mas que questionemos também o tratamento a que nos propomos a dar a ele nesses últimos tempos!

Não ousemos censurar Deus quando existe a lei do retorno as qual conhecem tão bem que são infalíveis em todos os tempos!

Dói-nos ver as lamúrias reticentes de um povo já tão sofrido.

Mas doem em nós o tratamento desrespeitoso das criaturas ao seu habitat.

Um exemplo forte dessa envergadura nos deve deixar reflexivos.

Cuidemos da nossa mudança interna, da nossa coerência, do amor que ainda não eclodiu de dentro do nosso ser para fora.

Acaso não sabeis das transformações que advirão em deferência das leis as quais todos nós já ultrajamos?

Estamos com todo cuidado com aqueles que partiram em massa deixando os seus amados na terra.

Estamos trabalhando por aqueles que ficaram, mas as ajudas terrenas nesse momento somam Fraternidade e Luz.

Amados! Não há causa sem efeitos. Não há efeitos sem causas.

Aqueles comprometidos com esse momento a força da lei os levou para em outra oportunidade retornarem com outro padrão de entendimento da vida.

Com isso não estamos lhes dizer que eram pessoas más.

Mais tarde Deus aplicará os seus recursos para lhes fazer compreender semelhante dor.

Portanto, amados amigos, Deus está nos observando com amor através da sua justiça e da sua sabedoria.

O importante é que nos posicionemos frente as mudanças planetárias para a renovação da energia da terra.

Todos devem ficar confiantes que um dia esse planeta será de paz.

Entendam que essa é uma varredura necessária ao ressarcimento de muitas falhas.

Não pensem que os irmãos não estão sendo assistidos, porque as doces hierarquias de luz fazem impecavelmente o seu trabalho.

Mas oremos e vibremos emitindo luzes coloridas a aquelas pessoas, locais, para neutralizar a dor que se espalha nos ares.

Equipes e mais equipes se desdobram em amor a todos.

Quanto a vocês cuidem de suas almas para que o planeta se torne limpo, higienizado.

Mudem o vosso comportamento que ainda é rasteiro.

Renovem a vossa fé.

Transformações serão necessárias para que a nova era se instale em seus corações e em vosso planeta.

Os acordes angélicos chegam para todos através das luzes do Cristo que passeiam em missão de ajuda sobre o Haiti.

Maria de Nazaré envia os seus mensageiros para abanar a tristeza de todos.

Orem e os acariciem mentalmente com as luzes do Cristo.

Mesmo a distância façam a vossa parte nessa conexão de suas luzes e de Maria de Nazaré para aqueles corações atingidos pela dor necessária a evolução de suas vidas.

Não contestem Deus.

Contestem a maldade humana, mas com compaixão.

Cada um pode fazer a sua limpeza ao se desvencilhar das atitudes velhas que já não mais poderão ser usadas nesse tempo que se inicia para todos vós.

Entrai pela porta estreita e abandonai a porta dos desejos terra-a-terra.

Cristifiquem os seus corações e de onde estiverem, a luz emanará das suas ações e do seu coração.

Abandonem as enfermidades morais a que tanto comprometeram esse planeta em que habitais.

O trabalho de limpeza agora é vosso.

Limpem suas mentes e o seu coração

Seja um doador da luz cristica.

Abram as comportas do vosso ser para a autopurificação.

Deixe que a simplicidade lhe aflore o coração.

Sedes humildes.

Arranquem do vosso ser as mágoas, os ressentimentos e segui as pegadas do Cristo de Deus.

Eis que os tempos são chegados.

A batuta divina lhes oferece um grande concerto: O da retificação de caráter.

Amem meus amados, e façam um trabalho de Fé ao seu próximo.

Não esperem as calamidades para se comoverem de emoção com a vontade de ajudar.

Há calamidades não em proporções semelhantes, mas há outras perto de vocês, e ainda não se dignaram a levantar os braços e arregaçar as mangas para deixar a sua contribuição de amor.

Irmanem-se em caridade, em amizade, em tolerância em abnegação ao vosso próximo.

Semeiem amor. Tirem um tempo para a doação.

Não esperem que as maiores calamidades lhes cheguem para praticar a virtude da caridade.

Sintam os irmãos terrenos como vossos irmãos em caminhada seqüencial para o progresso evolutivo.

Todos chegarão a perfeição.

Não esperem as grandes dores para usarem de clemência.

Vão ao encontro dos infortunados de sua cidade!

A dor está lá estampada, mas há outras aqui que juntos podem fazer a diferença.

O aguilhão da dor visita a todos, em maior ou em menor escala.

Previnam-se fazendo o que o Cristo lhes pede: Caridade para com os criminosos!

Caridade para com os famintos,

Vinde a mim os pequeninos sedentos, abandonados!

Isso também não uma catástrofe em menores proporções?

E a fome que assola as populações mais carentes do vosso Estado e da vossa Capital?

Reflitam sobre essas questões.

Reflitam sobre as catástrofes dos vícios, da maldade, dos infortúnios ocultos.

Observem o tempo que passa agora mais rápido e que deixa marcas para que possam sair dos seus casulos internos e praticar o sentimento que mais o mundo precisa: O exercício do amor e da fraternidade!

Amai, perdoai.

Estendam agora as mãos físicas e as mãos do coração.

Não esperem pelas grandes dores. Apazigúem as menores.

Com o sentimento de muito amor aos irmãos em profundos resgates, lhes acenamos em fortaleza, em doçura a lhes deixar o recado do Mestre: Bem aventurados os que choram porque serão consolados em perfume, em Fé Cristica.

Consoantes com a dor de todos, pedimos aos céus a resignação para esses renegados na terra e enfeitados de fé no mundo dos espíritos.

Juntos mancomunados com o Cristo e Maria de Nazaré somos seus trabalhadores em missão na terra em favor dos amados irmãos do devastado país Haiti.

Convergentes em Deus e para Deus nesse momento e nos próximos:

Átila

Canal: Francyska Almeida-160110-Fortaleza-Ce.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!