A entrega de um troféu

   A entrega de um troféu

 

Felizmente tive um convite irrecusável para a entrega de um troféu por aqui. É  claro, amados leitores, que os troféus são “plasmados”, nada material, mas perfeitamente translúcidos, não exatamente como aqueles do tipo estatueta do Oscar,  bem mais elaborado com o requinte de amor que aqui impera.

Era uma dessas festas equivalentes a entrega do “Oscar”.Mas aqueles que foram laureados tinham um sentimento: O dever cumprido em favor da humanidade. Era uma linda celebração. Anjos tocavam as suas harpas celestiais com um canto que nos trazia um profundo embalo de amor.

Às vezes me pergunto: que trajetória viveu esses seres de luz que se apresentam jorrando amor com o  canto, por suas vestes, pelo seu encanto de rosto cuja beleza se estampa gloriosamente?

Estava presente uma enorme platéia suspensa.  Havia muito brilho de energias que se misturavam as energias dos mestres que ali silenciosamente participavam da cerimônia.   Me  contive em um lugar simples junto a outros que tinha o mesmo amadurecimento. Entretanto, estávamos todos lá bebendo daquele momento que os nossos espíritos jamais esquecerá.

Fiquei como dizem na terra: de “bituca” para nada perder. Gravadores não era preciso e nem tampouco câmeras que pudessem ser espalhadas para registrar aquele grande evento de luz.

Vi e ouvi perfeitamente no telão a palavra acolhedora da Virgem mãe, e quase que “desmaiei” de tanto susto, pois não sabíamos como a cerimônia aconteceria.

Vestida de azul com branco, e o  manto salpicado de estrelas a Santa mãe dos Céus estava linda. Não sabia se ria ou se chorasse, afinal eu um simples homem terreno que não faz muito tempo de partida da terra que estava ali entre as figuras mais luminosas do universo. Aliás, nem sei bem porque fui convidado, pois acho que não merecia. Fiquei maravilhado, sem desgrudar o olho daquela imagem no telão que vale a pena salientar que em nada se parece com aqueles que compramos ou alugamos na terra.

É algo bem mais trabalhado e autêntico. Nossa Mãe chorava de emoção e de amor e toda platéia se envolveu naquele halo perfumado que vinha de todos os lados. Meu Deus, era divinal eu está ali em meio a tantos sábios e mestres!

Após a contemplação de todos esperamos silenciosamente A Rosa de Nazaré se pronunciar. Abrindo seus braços a todos proclamou: Meus amados filhos de todas as raças, de todos os credos, eu vos abençôo com todo meu amor. Rogo ao Pai proteção para todos e nesse instante trago também um recado do Cristo filho meu amado mestre para todos vocês: Que se instruam e amem profundamente para regenerar os seus espíritos.

Que a paz ilumine a todos os agraciados dessa noite e que possam junto aos seus corações eternos viverem a chama milagrosa do amor sem fronteiras.

Gloria ao Pai ao Filho e a todo Universo cujos seres de luz formam o grande espírito Santo do universo.

Que a força do amor reduza em cada um as inferioridades que ainda possam preservar em seus espíritos.

Salve Deus, Salve Jesus, Salve a força crística que devemos abraçar para prosseguirmos buscando a luz sagrada da vida.

Que assim seja.

Todos repetiram: Assim seja.

Maria de Nazaré abre seus braços e solta chispas de luz azuis de suas mãos que atravessam o telão e cai sobre todos nós. Fechamos os nossos olhos, pétalas de flores brancas e azuis caem copiosamente sobre nós que compúnhamos aquele conjunto de brilhantes expectadores. O perfume daquela Rosa impregnou toda platéia, e eu chorei muito agradecido aqueles solenes momentos inesquecíveis aos nossos espíritos.

Realmente não me senti digno daquela dádiva divina. Enfim, a cerimônia prosseguiria e eu estava curioso para saber quem receberia o troféu rosa do Coração de Maria.

Nossa amada Celina ao centro, como a mensageira que foi escalada para chamar aqueles que se destacaram por promover o bem a humanidade.

Com a voz cheia de amor e representando a Rainha dos céus, chama o primeiro nome: Pelos inúmeros serviços prestados ao Cristo e com o amor que lhe foi peculiar na terra, em nome de Maria de Nazaré, chamo o nome amado por todo universo inclusive pelo Cristo, aqui prestando a nossa homenagem sincera, peço que aqui venha em seu nome Teresa de Calcutá.

Todos saudaram a grande Madre dos pobres na terra e também queriam ouvi-la nesse momento. Na sua forma humilde de ser, é hoje carinhosamente chamada de Teresinha. Agradece o troféu que Maria designou a sua pessoa, mas reconhece que não merece, acha que poderia ter feito mais e agradece ao Cristo a oportunidade que lhe deu recentemente para vir a terra em missão juntamente com um grupo de outros espíritos para ajudar no seu saneamento. Diz também que a missão só teve êxito porque a equipe que veio ajudá-la era muito amorosa, e juntos fizeram o que se  propuseram  a fazer.

Madre Teresa ergue o troféu e oferece a todos os sofredores que a terra abriga.

Agradece de joelhos a Deus, a Jesus e a Maria pelo reconhecimento dos seus serviços em favor da humanidade.

Teresa de Calcutá pede a palavra e reconhecida diz: Louvado seja todos aqueles que se permitem ser ajudados, sem eles não realizaríamos a nossa tarefa de auxílio tutelar. Roga ao Pai que abençoem a todos seus pobres e a todos os presentes. Toca amavelmente no coração de Celina, abraçam-se e volta ao seu lugar muito feliz.

A segunda ser chamada é alguém que me surpreendeu de ser portadora de tanta luz. Observei bem os seus cabelos, a sua postura, e pasmem, era nossa Irmã Dulce que continua sua atividade constante em prol da humanidade.

Meu Deus, ela estava tão jovem e a nossa Teresinha também, pois quem acolhe a velhice das células é o corpo, saindo dele, remoçamos!

Nossa querida Irmã Dulce, simples, abre os braços e agradece a Jesus a oportunidade de ter sido útil na terra. Sou muito feliz, por ter acolhido em meu coração os filhos do Cristo Pai.

Deus com sua força auxilie a todos aqueles que desejam contribuir com sua parcela de amor a corações que sofrem.

Estou profundamente agradecida. Irmã Dulce  pôs  suas mãos cruzadas sobre o coração, agradecendo a mãe querida dos Céus  e viva Jesus, viva a nossa Maria deusa mãe!

Viva toda humanidade! sejamos cada dia mais amorosos para limpar a terra com toda perdição que vive, porque cremos em um novo tempo de luz amados amigos e irmãos.

Muito grata de todo meu coração por esta homenagem. É um incentivo a nos doarmos mais.

Chuva de luzes continuava a cair sobre todos nós, energias enviadas pelo Cristo, envasadas do seu coração.

Dentre os homenageados havia alguém que jamais pensei que fosse tão altruísta pelo que conhecíamos de sua personalidade. Pasmem era o nosso campeão inesquecível. Ayrton Senna não recebeu o troféu, mas foi citado como alguém que já fez muito pela humanidade em  espírito. O campeão apenas levantou-se de sua poltrona e colocou suas mãos postas ao peito e agradeceu chorando naquele momento. Dizia ele que não merecia essa menção. E disse que desejava aprender mais com a nossa Digna e amada mãe.

Todos novamente bateram palmas para este jovem que já se desprendeu dos laços da matéria, apesar de ter ocupado a posição que ocupou.

Surpreendi-me. Havia outros convidados que também foram mencionados a pedido da Mãe maior, como o mestre Luiz Sergio, Cazuza, aquele menino compositor e antes rebelde, bem como outros de outras  paragens,  é  claro, que cada um com sua disposição de ajudar em espírito a humanidade.

Gostaria de descrever esse troféu. Algo muito lindo feito de cristal, pedra que não existe na terra rosa entranhada com fios dourados belíssimos. Era um coração iluminado que dele saiam luzes que iam direto para o coração do agraciado. Um design primoroso. Belíssimo!

Entre a platéia dos mestres estava sentado o nosso amado e inesquecível servidor Chico Xavier, bem mais jovem resplandecia de luzes que também se destacava pela sua marca registrada, a humildade.

Fiquei a olhar aquele homem que na terra era chamado de amor. Em nada mudara, continuava na mesma postura de intermediário dos espíritos, com uma diferença: Sem a presença da carcaça física estava um Chico na juventude e bem mais belo. Realmente não poderia deixar de dar um “piteco” de conversa com ele, afinal como jornalista de cá  tive permissão.

Encerrada a cerimônia com uma prece em conjunto dos mestres da luz que ali estavam. Os agradecimentos finais foram do grande amigo e mestre da espiritualidade: Santo Agostinho, um frasco pequeno cheio de perfume luminoso.

Eu e meu instrutor ficamos na retaguarda à espera do nosso Chico. Estava eu novamente com o coração de jornalista querendo saber muito sobre a nossa tão amada personalidade, mas eu também iria dar um “piteco” de prosa também com a Teresinha dos pobres, não fosse nessa oportunidade seria noutra, mas também tinha nossa doce irmã Dulce, era muita emoção que se misturava dentro de mim.

Enfim, Chico se aproxima de mim e muito gentil cumprimenta-se como cidadão brasileiro e como cidadão do infinito. Muito amável.  Chico era um jovem que estava perto de mim para mandar o seu recado também para a terra.

Cumprimentei-o saudando sua juventude e seu trabalho de medianeiro do Cristo por infinitos dias na terra com a bravura de amor que o seu coração conduzia a toda humanidade.

Sentamo-nos olhando um ao outro, e, como bons brasileiros, fomos versar sobre o nosso amado país nesse momento de tantas crises desde as individuais às coletivas, políticas, etc e tal.

Começo por agradecê-lo por aquele pequeno espaço de tempo, pois Chico é um trabalhador encarregado não somente de uma colônia, mas especificamente de vários setores.

- Meu amigo e grande trabalhador do Cristo, que podes me dizer nesse momento sobre o Espiritismo no Brasil?

Caro Jornalista do mundo maior,  creio que o Espiritismo que conhecemos é uma Doutrina impecável, mas muito elástica. Há nobres servidores na terra que se atem a estudá-lo somente. Vêem a sua importância, beleza, mas sem nenhum comprometimento com a sua maior causa: A caridade.

Pelo que sei, aliás sempre soube, que dor na terra tem muita pressa. Não podemos cruzar os braços a ela para somente estudar os seus firmes propósitos doutrinários. Pelo seu tríplice aspecto não podemos abraçar somente um lado e abandonar aqueles que estão intrínsecos em sua sólida  fundamentação.

A causa espírita é de Jesus. Jesus é o nosso mestre e condutor. O que podemos abraçar,  somente as letras? Pois elas sem atitudes, ficam sem o seu brilho e real valor.

Espiritismo é uma obra inacabada que agora está sendo complementada pelo trabalho cristico à luz de suas luzes curativas, ou as energias envasadas que os seus amados seguidores ainda não tiveram a felicidade de contatá-las com o pensamento.

Caro amigo, o universo tem tantos segredos que precisamos nos ampliar cada vez mais com a mente e o coração para detectar o que há por trás  dos seus véus encobertos.

Atualmente há um grande número de trabalhadores cristicos que são denominados  por aqui de discípulos da luz que se movimentam em exército para ajudar a família terrena de maneira insofismável. Ajudam cada criatura especialmente aquelas que se predispõem a serem ajudadas pelos céus.

O movimento da nova Era é inegável e aqueles que professam a Doutrina do Cristo não podem ficar alheios à ela. Uma  fila de seres de luz das hierarquias superiores precisam trazer à terra a mensagem que Deus precisa enviar.

Quem se candidatará?

Aqueles que desejam se ampliar, e estudar o que há nas entrelinhas de todas as filosofias, de todas doutrinas, e de todas as religiões.

O Cristo agora caro amigo, é um sol bem maior que possamos imaginar que congrega todos os seus discípulos da luz para arrebatá-la  para a  terra neste milênio. Mas a verdadeira transformação começa no íntimo do homem para que ela se efetue fora dele em qualquer dimensão.

Portanto, há muito mais para se estudar agora. A própria mediunidade entra em uma das fases mais sutis que é a canalização que deve ser vista como sua evolução e o acesso de cada médium as imagens de sua sabedoria milenar.

Com o exercício da canalização ninguém vai ficar dizendo: espírito X, foi recebido por quem, não aceito, o que sabemos que acontece na terra.

Através da canalização o médium preparado com antecedência pela espiritualidade para tal e também por trazer conhecimento de porte ainda inenarrável aos terrenos, entra em sintonia com as mais altas hierarquias superiores e com a permissão divina capta as diversas mensagens de amor do universo. Digo-lhes que é muito simples, é a mente conectada com a mente luminosa que pode trazer qualquer assinatura que já evoluiu através dos séculos. Evolução é a palavra do momento. Estudemos o Cristo profundamente para praticá-lo com o nosso coração. O Espírita precisa dar o seu testemunho não com palavras, mas com ações benevolentes.

Vivemos enganados na terra em relação ao conhecimento da vida meus irmãos e amigos. Somos vida abrangente, e são muitas fatias desse conhecimento universal que precisamos descobrir à luz do Mestre Jesus.

Há algo que gostaria de completar a cerca das especulações. Como um servidor do Cristo Jesus, sou uma individualidade universal. E como espírito não posso pertencer a nenhum intermediário e posso trazer a minha palavra de reconforto como sempre fiz na terra através de qualquer médium de boa vontade, assim como outros trabalhadores do Cristo o fazem.

É preciso desmistificar a idéia de que médium a ou, b não pode receber determinado espírito. Meus queridos, Jesus permite, que todos vá onde houver sinceridade e boa vontade para ajudar o seu próximo. Somos todos vida imortal, como espírito vamos onde há necessidade sem que seja preciso nos identificar.

Se eu ou outro trabalhador do Cristo e de Maria de Nazaré a mãe Santíssima fosse escolher onde deixar a sua mensagem, onde ficaria a caridade?

Determinadas colocações da terra via mídia, comentários a respeito de qualquer trabalhador se está ou não no momento em que se manifesta com autorização do Cristo, é muito anti evangélico, postura que não condiz com a pureza da Doutrina. Repito meus queridos, os espíritos servidores se manifestam onde for preciso para colaborar em qualquer processo de vida se autorizado forem. Sua identidade não pode ser questionada, apenas o trabalho que fez com todo seu amor para minorar o sofrimento de outrem.

Embora tenha feito um trabalho na terra de colaboração a humanidade, não me santifiquei ainda, porque os santos vivem mais próximos de Deus. Trabalho da mesma maneira que outros conhecidos ou reconhecidos por vocês. Não é muito oportuno jornais e revistas ficarem questionando a vinda ou não de qualquer mensageiro de Deus para colaborar dentro das suas possibilidades amorosas nas casas espíritas. Creio ser uma falta de sensibilidade  e até mesmo de Evangelho.

Amados amigos e irmãos, nós vamos nas casas mais simples para deixarmos a nossa pitada de amor aos que sofrem, sem identificar a nossa individualidade. Se o servidor consciente do Cristo voltasse para cá para nunca se deslocar, não teria muita graça, e nem seria viável a sua evolução, se o maior sofrimento das criaturas filhas de Deus está no planeta Terra!

Para finalizar digo-lhes que na medida do possível dentro do meu tempo no plano dos espíritos estou sempre pela terra mesmo sem repassar o meu nome que é equivalente a qualquer um outro  que serve ao   Cristo com todo seu amor.

Os médiuns da terra são avaliados por Deus e cada um deles tem os seus méritos para trabalhar para o Cristo Jesus para sua evolução, evolução da terra e da humanidade.

Os servos de Jesus poderão sintonizá-lo e trazer a sua contribuição amorosa ao grupo mediúnico se for o caso ou em qualquer cabana onde haja a dor nem a menor necessidade de projeção como espírito desencarnado.

Desejo de todo meu coração que a Doutrina Espírita faça brotar no coração de cada seguidor a vontade de transformar-se e transformar o mundo com a força que o seu conteúdo tem que é  a luz resplandecente do coração de Jesus Cristo.

- Meu  amado irmão, sei que suas informações foram muito contundentes. Entendemos que a prática é a razão de qualquer filosofia, mas ao que sei, a realidade da terra nesse momento é o que falas, não de maneira geral, porque há muitas pessoas como sabes que estão tentando transformar essa dura realidade que estamos vendo, e às vezes tem somente seu bom coração sem a menor instrução primária.

Exatamente meu caro Jornalista, somente o amor pode mudar a paisagem da terra nesse momento e nos vindouros e é com ele que podemos mover montanhas internas e externas na graça de Jesus.

Bem, venerando Chico, de todo meu coração agradeço esses momentos e lamento não podermos conversar um pouco mais.

Certamente amigo brasileiro. Quem dera se houvesse disciplina na terra. Aqui é a matéria básica que aprendemos ao chegar.

- Agradeço do fundo do meu espírito e proponho outra vez nos encontrarmos.

Com muito prazer Chico, vou me sentir um dos homens como espírito mais privilegiados por Deus.

- Deus, Cristo e caridade, exercício do amor em cada coração terreno. Sem preconceito busquem aprender mais sobre a sabedoria cristica do Universo cheio de detalhes e conhecimento milenar.

Abram-se a Nova Era para remodelar esse planeta que ainda sofre tanto pelas energias escuras que ainda fazem parte do seu orbe.

Meu carinho, meus votos de felicidade e realização interna no ato de aprender, praticar e multiplicar. Todos  precisamos da luz do Cristo para expandi-la em fé, fraternidade e amor.

Deus te abençoe meu amigo e jornalista Roberto Marinho também vejo que estais muito jovem e consciente a respeito da vida.

- Até um dia até dia. Fiquei muito honrado com nossa conversa. És mais um Chico de Deus. Um beijo ao lado do teu coração.

- Agradeço e retribuo outro em seus dedos de jornalista do além.

Ah! agradeci a Deus a minha trajetória de filho, de esposo, de pai, de amigo, de empresário que tive. Com a força grandiosa desse amor que paira sobre todas as cabeças louvado seja!

Mas eu aguardava ainda a nossa irmã Teresinha, teria um dedo de prosa bem menor. Pois aqui somos programados e disciplinados e como já tenho a ciência dessa programação não vou forçar a barra como se diz na terra.

E lá vem ela bem diferente da madre Teresa de Calcutá que víamos na Televisão em suas excursões buscando um grande punhado de pobres para ajudar.

Madre Teresa como nós, estava bem mais jovem, bela e radiante.

Desculpou-se por não poder conversar por mais tempo. Já me conhecia, aquele conhecimento que se ouve falar...

Aqui temos uma mídia invejável, sofisticação total.

Teresa de Calcutá sorridente cumprimentou-me à moda indiana ”Namastê” o Deus que há em mim saúda o Deus que há em você ao que também lhe correspondi.

Falou-me do prazer em poder ter contato com um jornalista formado pela faculdade de jornalismo do além.

Realmente, não queria tomar o tempo daquela figura franzinha e que vestia a mesma roupa que foi sua marca na terra.

Antes que lhe fizesse uma pergunta qualquer, Madre Teresa falou-me da alegria de está trabalhando como mensageira de Maria de Nazaré e do Cristo.

Oportunidade em que agradecia o reconhecimento de nossa mãe a sua pessoa. Uma Maria inconfundível.

- Trabalhar com a Rainha dos céus é uma benção que agradeço todos os dias. Maria de Nazaré é alguém a quem me ajoelho sempre aos seus pés em sinal de agradecimento a grande oportunidade de trabalhar ao seu lado e a aprovação do projeto de luz que trouxe para a terra junto a outros trabalhadores que desejam ver a terra de cara nova. Ayrton Sena, Cazuza, Luiz Sergio, Eva da Luz os quais estiveram na terra por quase dois meses, ajudando em sua higienização. Confesso que jamais esquecerei esses momentos de aprendizado. Constatou ao vivo que a dor e a miséria moral é bem maior do que aquela que presumíamos.Estou muito feliz, se Jesus me conceder a graça novamente, estarei na terra visitando, acalmando, amando muito mais aos enfermos da alma tratando de uma quantidade bem maior deles.

- Minha cara freira dos pobres, essa notícia já tinha conhecimento, mas ouvindo do seu coração me dar muito mais a chance de admirar o teu espírito inquieto às causas da dor.

Quais os seus novos projetos, ou um deles?

Escrever um livro no qual enviarei noticias do mundo maravilhoso que é aquele em que estamos vivendo. Jesus está analisando a minha proposta.

Sou muito feliz e agradeço a Ele a graça do trabalho. Contrariando a “teoria” de que “morreu descansou”. Vale à pena alertar que aquele que não tinha muita disposição para dar as suas cambalhotas na terra, quando chegar aqui vai ter que arregaçar as mangas mesmo, se duvida, esperem para um dia checar.

- Abraço-a minha freirinha querida e de todo mundo, que o Cristo te fortaleça cada vez mais e que os teus projetos voltados a humanidade sejam aprovados em gênero, número e grau.

- Namastê caro jornalista do além, também virei sua fã.

- Mas Madre Teresa, eu não sou artista e nunca fui.

- Para mim agora vais ser.

- Obrigado, um abraço de continuidade aos seus projetos de luz à humanidade e me despeço com todo carinho.

- Eu também. Maior que as forças positivas e reluzentes do Cristo Filho, do Cristo Pai e de Maria de Nazaré, nada, nem na terra e nem no céu.

- Nos veremos e eu o agradeço novamente pela sua delicadeza Teresinha de Deus.

- Namastê.

- Namastê minha encantada Teresinha de Deus.

Ah! Como eu estava agradecido! Mas ainda faltava nossa irmã Dulce, aquela da Bahia lembram?

Irmã Dulce me cumprimenta como um velho parente.

- Como vai meu filho? Ouvi dizer que agora estais a exercer o teu papel de jornalista por aqui, é verdade?

- Sim irmã Dulce, é verdade, afinal sou um apaixonado inveterado pelo jornalismo e Deus me concedeu permanecer nesse ofício.

- Bom para mim não é?

- Com certeza meu filho. Irmã,  a senhora agora já come por aqui? ahahaha não meu filho, sabia que foi importante nos últimos tempos ter me alimentado de tão pouco?

 Mas essa é outra história.

- Que tal eu entrevistá-lo? Mas essa fala é minha querida irmã. Vejo que estais cada dia mais crescida e forte também, e porque não dizer jovem.

- É meu filho o trabalho renova tanto lá na terra quanto aqui e você sabe disso.

- É verdade, pena que as pessoas ainda vivam tão ociosas, fisicamente e mentalmente.

- Mas meu filho, que me contas de tua nova vida?

- Minha querida irmã, a vida aqui é tão atraente que busco renovar-me e renovar o meu trabalho cada vez mais. É claro que as entrevistas aqui não poderão ser esmiuçadas como as da terra, até porque nem tudo pode ser revelado, e então  a gente precisa ter essa cautela, não achas?

- Com certeza. Há fatos que não movem mais nenhuma de nossas estruturas passadas. O aprendizado é contínuo e nós sabemos disso que quanto mais deixamos o passado para trás  melhor porque seguimos sempre em frente.  Viramos as páginas do nosso livro e guardamos apenas as frases que riscamos para detalhar o que mais nos foi importante.

- Querida irmã Dulce, para finalizar, que atividades mais freqentes tens por aqui?

- Querido jornalista, sabes da minha afinidade com doentes e assim continuo prestando serviços nas colônias de Maria de Nazaré. Atendo a crianças, jovens, idosos, aqueles que sofrem por seu desencarne precipitado e também dou aulas para crianças no Instituto de luz do Nazareno.

Nossa, irmã Dulce, é mesmo?

- Sim. É uma grande alegria quando vou fazer o meu trabalho junto aquelas tão sofridas crianças.

- Estive entrevistando uma linda menina    que se chama Savina. Fiquei realmente impressionado com a destreza daquele espírito em forma de criança.

- Tens razão, Savina é um doce de luz.

- Mas irmã que tal um dia eu voltar até lá para vê-la trabalhando?

- Por mim tudo bem, mas sabes meu caro jornalista, aqui é necessário se pedir uma senha que autoriza a participação nos nossos trabalhos.

- Tens razão. Irmã Dulce. Se eu pudesse mandaria uma foto sua lá para a terra, ninguém acreditaria ver essa nova irmã Dulce que vejo.

- Fico agradecida meu amigo. Peço a Jesus lhe orientar a cada dia mais em suas reportagens espirituais. Continuemos na fé e no amor, porque somente com a força e o brilho que ele possui  reconstrói o que foi desmoronado.

-  Obrigado irmã Dulce. Desejo também tudo de especial em suas lides invisíveis, fazendo votos para que nos encontremos a qualquer dia ou em qualquer hora do relógio do nosso tempo.

- Até lá então amiga dos enfermos.

Realmente foi um dia memorável. Agradecido a Deus, pela força de me impulsionar ao novo caminho dentro do que mais meu espírito pode entrar em contato.

Agradecido também aos nossos amigos e irmãos que nos concederam suas entrevistas fico aguardando a continuidade desse trabalho que faço com todo meu carinho e profissionalidade.

Que Jesus o mestre maior regue de luz as nossas vidas.

Com amor e discernimento:

 

 Roberto Marinho -  Primeiro Livro

                       Canal: Francyska Almeida-Fort-Ce.     

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!